13 maio 2007

A voz dos leitores



No Público de hoje, o provedor dá voz às objecções dos leitores de Pessoa a propósito de um apócrifo publicado (como aqui também assinalei).

A Laurinda Alves, talvez para se redimir, na sexta-feira passada, enche a sua página de crónica só com poemas transcritos - o que não deixa de ser um sintoma alarmante de uma preguicite bem paga.

2 comentários:

joao disse...

Tive conhecimento deste facto através do seu blog, o que me obriga (no sentido de descoberta) a passar por cá com mais assiduidade.
Comungo da opinião sobre o “sintoma alarmante de uma preguicite bem paga”. Penso que mais de que um sintoma é uma alergia crónica à necessidade de descobrir, de interrogar, de investigar que a autora (Laurinda Alves) sempre apresentou desde os tempos da revista Xis; pelo menos foi através daqui que tomei conhecimento dos seus textos. (nunca cheguei a compreender a razão do Público ser mais caro aos Sábados).

Rui disse...

Nada contra a pessoa Laurinda mas, de facto, talvez fosse salutar, quando se limitam a despejar trabalho de outrém, os ilustres cronistas doarem o seu cachê dessa semana à AMI ou à Abraço...